Sorry, you need to enable JavaScript to visit this website.
Partilhe Artigo
X
Coronavirus - As suas perguntas mais frequentes (FAQ)

Coronavirus - As suas perguntas mais frequentes (FAQ)

Confira aqui as respostas do Dr. Mike Possner, pediatra de Nutrição Infantil da Nestlé e Diretor Médico da Zona EMENA.

Terça, 21 de Abril de 2020

1. Preocupo-me com a possibilidade de contrair a COVID-19. Qual deve ser o meu nível de preocupação?
Esta é uma pergunta que muitas famílias colocam. Os meios de comunicação sobrecarregam-nos com informação sobre a COVID-19, o que nos pode deixar ansiosos e confusos.
A OMS (Organização Mundial da Saúde) adverte que, caso resida numa zona afetada, é possível que alguém na sua família possa estar exposto ao novo coronavírus. Muitas pessoas podem sentir apenas sintomas ligeiros, especialmente crianças e jovens adultos, mas existem casos sérios que exigem tratamento hospitalar. Os que têm sintomas ligeiros podem ainda infetar os outros. Isto significa que a melhor forma de manter a sua família e a sua comunidade seguras é seguindo as precauções básicas, tanto em casa como na rua, tais como uma boa higiene respiratória e das mãos. Assegure-se de que se mantém informado e de que segue os conselhos das autoridades de saúde locais no que concerne as restrições relativas a deslocações e ajuntamentos.

Pode encontrar aqui os conselhos mais atualizados da OMS: https://www.who.int/emergencies/diseases/novel-coronavirus-2019/advice-for-public

 

2. Estou a amamentar o meu bebé. Caso eu esteja infetada com COVID-19, vou infetar o meu bebé? O que posso fazer para proteger o meu bebé de ficar infetado?
Para os pais recentes, a amamentação pode colocar muitos desafios e até gerar ansiedade, particularmente durante o período em que vivemos. Mantenha-se informado, consultando as atualizações no website da OMS. Caso esteja com dificuldades, é importante procurar aconselhamento junto do seu profissional de saúde (pediatra, médico de família ou enfermeira). Qualquer que seja a recomendação, assegure-se de que você e qualquer outra pessoa que a ajude a alimentar o seu bebé seguem as mesmas regras de higiene das mãos antes e depois de tocarem em qualquer equipamento de alimentação ou na sua criança.

Pode encontrar aqui, em detalhe, os conselhos mais atualizados da OMS: https://www.who.int/news-room/q-a-detail/q-a-on-covid-19-pregnancy-childbirth-and-breastfeeding

 

3. Se alimentar o meu bebé com fórmula infantil e/ou alimentos para bebé, o meu bebé pode ser infetado através do produto?
Na Nestlé, seguimos sempre rigorosos protocolos de higiene e de controlo de infeção cruzada, garantindo que todos os nossos alimentos são seguros para a sua família e estão livres de substâncias contaminantes. Durante este período repleto de preocupações, obviamente que revimos todos os nossos protocolos e introduzimos medidas adicionais para garantir que fornecemos um produto seguro para si e para o seu bebé. O seu bebé não corre o risco de ficar infetado com COVID-19 por causa das nossas fórmulas infantis e dos nossos alimentos para bebés. No entanto, caso escolha alimentar o seu bebé com leite de fórmula, é importante seguir as regras de higiene recomendadas. A OMS recomenda que tenha o cuidado de lavar bem as suas mãos com água e sabão durante, pelo menos, 20 segundos antes de manusear o leite de fórmula ou o biberão, ou de pegar no seu bebé, reduzindo assim o risco de disseminar a infeção por contacto. Assegure-se também de que limpa e desinfeta ou esteriliza regular e adequadamente o seu equipamento de alimentação. A OMS também sugere que, caso não se sinta suficientemente bem para alimentar o seu bebé, peça a alguém para a ajudar – se tal for possível – e assegure-se de que seguem o mesmo protocolo de higiene. Se você, o seu parceiro ou outro cuidador ficar com tosse ou outros sintomas respiratórios, recomenda-se que use máscara, caso esteja disponível, quando alimentar ou cuidar do seu bebé, reduzindo assim o risco de contágio. Assegure-se de que sabe como utilizar e descartar a sua máscara de forma segura. Caso tenha dúvidas, fale com um profissional de saúde.

Pode encontrar aqui, em detalhe, os conselhos mais atualizados da OMS: https://www.who.int/emergencies/diseases/novel-coronavirus-2019/advice-for-public

 

4. Devo esterilizar o biberão, apesar de as instruções de preparação indicarem que não é necessário?
Sim. A OMS recomenda que todos os equipamentos de alimentação (incluindo biberões, tetinas, taças e colheres) utilizados pelo seu bebé sejam sempre lavados e esterilizados ou desinfetados. Assegure-se de que lava todos os equipamentos de alimentação com água e que, de seguida, os equipamentos resistentes à temperatura são fervidos ou esterilizados enquanto aqueles que não são resistentes são limpos com uma solução de álcool adequada para os desinfetar. Não se preocupe caso não tenha a certeza sobre o que fazer numa situação específica, mas contacte o seu médico, profissional de saúde ou parteira, que poderão dar-lhe conselhos mais específicos.

Pode encontrar aqui, em detalhe, os conselhos mais atualizados da OMS: https://www.who.int/news-room/q-a-detail/q-a-coronaviruses

 

5. Quais são os riscos para o meu bebé ou para a minha criança se ficarem infetados e como os posso proteger da COVID-19?
A OMS esclarece que, de momento, ainda não sabemos o suficiente sobre a COVID-19 para termos a certeza sobre a forma como afeta, especificamente, bebés ou crianças de diferentes idades. No entanto, globalmente, tem havido menos casos reportados em crianças pequenas e bebés do que noutras faixas etárias e, geralmente, as crianças parecem não ter sido tão gravemente afetadas pela doença. Algumas pessoas que contraem a doença podem ficar mais gravemente doentes e desenvolver pneumonia e dificuldades respiratórias graves, embora os mais gravemente afetados sejam maioritariamente pessoas mais idosas ou que sofrem de outras patologias. No entanto, sabemos que é possível que pessoas de todas as faixas etárias sejam infetadas e fiquem doentes. Por isso, é importante ter cuidados extra em sua casa e com o seu estilo de vida durante algum tempo, de forma a proteger-se a si, à sua família e aos que a rodeiam.

A informação atualmente transmitida pela OMS é de que você e o seu bebé podem apanhar COVID-19 de outras pessoas que estejam infetadas com o vírus ou ao tocarem em superfícies ou objetos contaminados e, de seguida, tocarem nos olhos, boca ou nariz. Esta doença transmite-se de pessoa para pessoa através de pequenas gotículas oriundas do nariz ou da boca que se podem espalhar quando uma pessoa infetada tosse, espirra ou exala. Uma vez que as gotículas podem cair nas superfícies e aí permanecer durante algum tempo, a lavagem regular das mãos e a higiene respiratória são muito importantes na prevenção da propagação da doença e na sua proteção e da sua criança. Assegure-se de que lava as mãos com sabão e água durante, pelo menos, 20 segundos antes de pegar na sua criança e de que os que vos rodeiam fazem o mesmo. Assegure-se de que pratica uma boa higiene respiratória, aplicando-se o mesmo aos que vos rodeiam. Isto significa cobrir a boca e o nariz com o cotovelo dobrado ou com um lenço quando tossir ou espirrar. Deite imediatamente fora o lenço utilizado e assegure-se de que, de seguida, procede a uma boa higiene das mãos.

As crianças pequenas podem ter dificuldades em lavar as suas próprias mãos e os bebés necessitam que o faça por eles. Transforme este ritual numa parte divertida da sua rotina diária, especialmente ao regressar do exterior e antes e depois das refeições, usando sabão e água ou, caso isso não seja possível, um desinfetante para as mãos à base de álcool.

Aqui encontra alguns conselhos da OMS sobre a lavagem eficaz das mãos: https://www.who.int/gpsc/clean_hands_protection/en/

Também é possível apanhar COVID-19 ao inalar gotículas diretamente de outras pessoas infetadas pelo vírus. Por esta razão, é muito importante ficar, pelo menos, a uma distância de 1,5 m de qualquer pessoa. Para manter o seu pequenino ainda mais seguro, é importante minimizar as interações com outras pessoas que possam estar adoentadas, pelo que deve evitar levá-lo à rua para se encontrarem com amigos e família e grandes ajuntamentos. Para qualquer pessoa que interaja com os seus filhos, é importante seguir uma higiene respiratória e das mãos. Isto pode ser difícil, mas agora é importante, pois reduz o risco de propagação do vírus. Assegure-se de que se mantém informada das últimas indicações das autoridades de saúde locais.

Pode encontrar aqui, em detalhe, os conselhos mais atualizados da OMS:https://www.who.int/news-room/q-a-detail/q-a-coronaviruses

 

6. Estou infetada / estive em contacto com uma pessoa infetada com COVID-19 – o que posso fazer para proteger a minha criança?
Caso alguém em sua casa tenha sintomas de COVID-19 ou tenha tido contacto com uma pessoa que seja um caso confirmado de COVID-19, é importante procurar cuidados médicos o quanto antes.
A OMS recomenda protocolos claros sobre a forma de limitar o risco de propagação da infeção. Caso esteja preocupada com a possibilidade de ter sintomas de COVID-19 ou tenha tido contacto com alguém diagnosticado com COVID-19, a melhor forma de assegurar que mantém as suas crianças e os restantes membros da família em segurança é limitando o contacto com eles e mantendo uma boa higiene respiratória e das mãos, de modo a reduzir o risco de propagar a infeção. Isto pode ser muito difícil, mas é importante limitar a propagação da doença tanto quanto possível.

Caso tenha testado positivo para COVID-19 e esteja a ser tratada em casa, é importante praticar o protocolo de isolamento recomendado pelo seu profissional de saúde e pela OMS. As orientações gerais da OMS incluem ficar em casa e limitar o contacto entre si e os outros membros da família. É recomendado que tenha o seu próprio quarto, bem ventilado e isolado dos restantes membros da família, para além de praticar uma boa higiene das mãos e, sempre que possível, usar uma máscara e/ou manter uma boa higiene respiratória. Se for aconselhada a usar uma máscara, assegure-se de que sabe colocá-la e descartá-la em segurança. A OMS também recomenda que a roupa de cama, loiça e talheres utilizados por si não sejam partilhados com os seus filhos ou outros membros da família. Recomenda, igualmente, que todas as superfícies que possam estar contaminadas sejam limpas com regularidade, utilizando luvas e outros equipamentos de proteção, sempre que possível. Assegure-se de que sabe como utilizá-los e descartá-los de forma segura. Caso não tenha a certeza de como proceder, contacte o seu profissional de saúde.

Pode encontrar aqui, em detalhe, os conselhos mais atualizados da OMS: https://www.who.int/emergencies/diseases/novel-coronavirus-2019/advice-for-public/

 

7. Tenho vários filhos. Se um dos meus filhos ficar doente com COVID-19, como posso proteger os restantes?
Conseguir tratar de uma criança doente no seio de uma família pode ser um desafio mesmo nos melhores momentos. É normal que esteja particularmente preocupada na situação atual. Caso uma das crianças tenha algum dos sintomas ou se sinta doente, é importante procurar aconselhamento médico o quanto antes.

Caso alguma das suas crianças apresente sintomas de COVID-19, tenha tido contacto com um caso confirmado de COVID-19 ou tenha acusado positivo para COVID-19 e esteja a ser tratada em casa, é importante seguir o protocolo de isolamento recomendado pelo seu prestador de cuidados de saúde e pela OMS. Geralmente, isto inclui ficar em casa e limitar o contacto entre a criança e os outros membros da família, exceto o seu cuidador designado para o efeito. É recomendado que tenha o seu próprio quarto, bem ventilado e isolado das outras crianças, para além de uma boa higiene respiratória e das mãos. Enquanto as crianças mais velhas que estejam doentes podem usar uma máscara para limitar a propagação da infeção, tal não é recomendado para os mais novos, uma vez que as máscaras podem limitar o fluxo de ar, podendo ser desconfortáveis ou até perigosas para os mais pequenos quando estão sozinhos. Caso o seu profissional de saúde recomende uma máscara, assegure-se de que sabe como a usar e descartar em segurança. A OMS também recomenda que a roupa de cama, loiça e talheres utilizados pela criança infetada não sejam partilhados com os restantes membros da família, devendo ser limpos cuidadosamente após a utilização. Isto pode ser stressante para as crianças, que podem ficar ansiosas com tudo o que ouvem sobre o vírus. É importante ajudar toda a família a lidar com a situação e, por isso, incluímos algumas recomendações úteis da OMS para toda a família sobre como gerir estes momentos stressantes. Caso se sinta assoberbada, fale com um terapeuta ou profissional de saúde.

Pode encontrar aqui, em detalhe, os conselhos mais atualizados da OMS:

https://www.who.int/docs/default-source/coronaviruse/coping-with-stress.pdf?sfvrsn=9845bc3a_8
https://www.who.int/docs/default-source/coronaviruse/helping-children-cope-with-stress-print.pdf?sfvrsn=f3a063ff_2

 

8. Tenho tosse. Devo usar uma máscara para proteger o meu bebé?
Se estiver a tossir ou a espirrar ou caso tenha testado positivo para a COVID-19, pode ser recomendável o uso de uma máscara quando está a alimentar e a cuidar do seu bebé. Se usar uma máscara, é muito importante que saiba como o fazer corretamente e como usá-la e descartá-la em segurança, continuando a ser importante seguir as recomendações sobre uma boa higiene respiratória e das mãos.

A OMS dispõe de um guia muito completo, que recomendamos como referência, sobre como utilizar e descartar máscaras corretamente e quando é adequado o uso de máscaras.
https://www.who.int/emergencies/diseases/novel-coronavirus-2019/advice-for-public/when-and-how-to-use-masks

 

9. Os produtos contendo probióticos podem ajudar a reforçar o sistema imunitário da minha criança?
Não sabemos o suficiente sobe a COVID-19 para termos certezas sobre os benefícios dos probióticos ou de outros suplementos que fortalecem a imunidade. No entanto, sabemos que, em geral, os probióticos contribuem para um sistema imunitário saudável.

 

10. A minha criança pode ser infetada com COVID-19 através de uma origem animal, tal como carne ou ovos?
A OMS afirma que os coronavírus são uma alargada família de vírus comuns nos animais. Ocasionalmente, como foi o caso da COVID-19, as pessoas podem ser infetadas com estes vírus e, posteriormente, contagiar outras pessoas. As possíveis origens animais da COVID-19 ainda não foram confirmadas, mas recomendamos sempre boas práticas de segurança alimentar. Carne crua, leite, ovos crus ou órgãos de animais devem ser manuseados com cuidado, de forma a evitar a contaminação de outros alimentos cozinhados ou crus. Deve igualmente evitar-se o consumo de produtos animais crus ou mal cozinhados. Assegure-se de que pratica uma boa higiene das mãos quando manuseia estes alimentos e evite tocar nos seus olhos, boca e nariz. Utilize sempre utensílios separados para os alimentos cozinhados e não cozinhados.

Pode encontrar aqui, em detalhe, os conselhos mais atualizados da OMS: https://www.who.int/news-room/q-a-detail/q-a-coronaviruses

 

11. Quanto tempo é que o vírus da COVID-19 sobrevive em superfícies?

Não sabemos, exatamente, quanto tempo é que o vírus da COVID-19 sobrevive nas diferentes superfícies, mas a OMS acredita que é possível que varie entre algumas horas e alguns dias, dependendo das condições (por exemplo, tipo de superfície, temperatura e humidade do ambiente). Por isso, é importante limpar bem qualquer superfície que possa estar contaminada, praticar regularmente uma boa higiene das mãos e evitar tocar nos seus olhos, boca e nariz, que podem ser uma porta de entrada para o vírus.

Pode encontrar aqui, em detalhe, os conselhos mais atualizados da OMS: https://www.who.int/news-room/q-a-detail/q-a-coronaviruses

 

12. É seguro receber uma encomenda/embalagem em casa?

Muitos de nós estamos a encomendar mais comida e artigos de necessidade diária para serem entregues em nossas casas, evitando assim sair. Naturalmente, as famílias podem estar preocupadas com a possibilidade de estas encomendas virem a introduzir o vírus em suas casas. Em geral, a OMS considera ser seguro receber encomendas de uma área afetada pela COVID-19 e informa que a probabilidade de uma pessoa infetada contaminar produtos é baixa, o mesmo acontecendo com o risco de se apanhar o vírus através de uma embalagem que foi transportada e exposta a diferentes condições e temperaturas.

Contudo, é sempre prudente praticar uma boa higiene das mãos após manusear embalagens.

Pode encontrar aqui, em detalhe, os conselhos mais atualizados da OMS: https://www.who.int/news-room/q-a-detail/q-a-coronaviruses

Ler mais

Junte-se ao Clube Bebé Nestlé

Ser mãe pode ser um descanso. Inscreva-se no nosso clube e receba informação personalizada para si e para o seu bebé!

  • BrindeBrinde de boas-vindas
  • Informação PersonalizadaInformação Personalizada
  • Amostras e DescontosAmostras e Descontos
  • Programa Educativo de Nutrição Programa Educativo de Nutrição

Inscreva-se já!

Saiba mais sobre as suas necessidades nutricionais
As mamãs e papás avaliaram em 0/5
Pesquisar

Ainda não encontrou
O que procura?

Experimente a nova forma de pesquisar. Nós temos sempre informação útil para si.