Sorry, you need to enable JavaScript to visit this website.
Partilhe Artigo
X

O procedimento cirúrgico de uma cesariana

 

Apesar de normalmente tudo acontecer de forma rápida e sem complicações, deve ter a noção clara de que uma cesariana é uma cirurgia com riscos potenciais. Se está a considerar fazer uma cesariana a pedido seu, deve estar informada acerca destes riscos. Nesta área sumarizamos os factos essenciais sobre os principais riscos da cesariana para si.

Quinta-feira, 5 de Janeiro de 2017

Apesar dos riscos, também há uma mensagem tranquilizante: graças à evolução do conhecimento médico foi possível melhorar o procedimento cirúrgico, de modo a garantir a maior segurança da mãe e do bebé. Contudo, a completa exclusão de todos os riscos não pode ser garantida. Assim, deve pesar os prós e os contras para poder decidir de forma informada e consciente.

 

Riscos para a mãe

  • Após uma cesariana, há um risco acrescido de infeção. Há também uma probabilidade aumentada de ter de tomar medicamentos.
  • Apesar de todas as precauções podem surgir complicações, como danos na bexiga, intestinos ou vasos sanguíneos. Uma consequência possível é a formação de tecido fibroso de cicatrização.
  • Se as suturas não cicatrizarem adequadamente, a consequência podem ser cicatrizes pouco estéticas e até dolorosas.
  • Se é alérgica a alguns medicamentos, podem surgir enjoos e urticária.
  • Danos nos vasos sanguíneos e a prescrição de repouso na cama podem aumentar o risco de trombose.
  • Para além dos riscos associados à cirurgia, a cesariana também pode ter consequências para futuras gravidezes e partos.

 

Riscos para o bebé

  • Os bebés nascidos por cesariana têm mais frequentemente problemas de respiração pós-parto, quando comparados com bebés nascidos por parto normal, pois acumulam líquido nos pulmões. Durante o parto normal, este líquido é forçado a sair dos pulmões.
  • Os bebés de mães que tiveram anestesia geral, reagem por vezes com maior torpor e com atraso do início da respiração.
  • Os bebés nascidos por cesariana nascem com um intestino estéril, enquanto os bebés nascidos por parto vaginal ingerem as bactérias benéficas presentes na flora vaginal da mãe. Assim, os bebés nascidos por cesariana demoram mais tempo a criar a sua flora intestinal para uma proteção imunitária efetiva.

 

Flora intestinal de um recém nascido

 

Operação e anestesia

  • A anestesia mais usada durante uma cesariana é a epidural ou a anestesia da medula espinal. São anestesias locais, normalmente sem complicações, efetivas na supressão da dor. Esta anestesia permite-lhe dar as boas vindas ao seu bebé e experienciar o seu primeiro contacto com ele ainda no bloco de partos.
  • Para além da incisão mais vulgar na zona inferior do abdómen, há uma nova metodologia cirúrgica criada por Misgav Ladach, a que os meios de comunicação chamam de “cesariana suave”. De facto, neste método a pele é torcida e só leva pequenas incisões. Isto pode parecer doloroso, mas a cicatrização é mais rápida e a mãe recupera mais depressa do que com os outros métodos. Contudo, este método só é possível num primeiro parto.

 

Dica: Leve roupa confortável para o hospital. Depois da operação, cuecas tipo biquíni podem causar dor na cicatriz. É melhor usar as cuecas de gravidez. Além disso, tops com botões são muito úteis pois facilitam a amamentação e não têm de ser despidos, passando por cima da cicatriz para libertar o peito.

Ler mais

Junte-se ao Clube Bebé Nestlé

Ser mãe pode ser um descanso. Inscreva-se no nosso clube e receba informação personalizada para si e para o seu bebé!

  • Ofertas ExclusivasOfertas Exclusivas
  • Benefit 3Informação Personalizada
  • Amostras e Vales
  • Programa Educativo de NutriçãoPrograma Educativo de Nutrição

Inscreva-se já!

Conteúdo Relacionado