Sorry, you need to enable JavaScript to visit this website.
Partilhe Artigo
X
Tudo o que precisa de saber sobre a diversificação alimentar!

Tudo o que precisa de saber sobre a diversificação alimentar!

 

Durante os primeiros meses de vida, o bebé alimenta-se exclusivamente de leite materno e/ou infantil. A partir dos 4-6 meses deve começar a introduzir-se os novos alimentos na sua alimentação diversificada. Desvubra tudo o que precisa de saber sobre a alimentação diversificada do bebé!

Sexta-feira, 1 de Abril de 2016

Alimentação diversificada

Com a introdução gradual dos primeiros alimentos “sólidos”, o seu bebé vai descobrir um mundo de novos sabores e texturas. Quais as regras para que a diversificação alimentar do bebé seja um sucesso?

Quando o bebé percebe que comer significa afirmar-se!

 

Acha que a primeira colherada de papa de cereais ou de puré de legumes não tem grande importância? Para o seu bebé, representa uma verdadeira revolução! Até agora não conheceu nenhum alimento para além do leite materno ou do leite infantil e nem sequer sabia que existiam outros alimentos.

Graças a todos estes novos sabores e texturas, o seu bebé descobre pouco a pouco que tem o poder de tomar decisões (“eu gosto disto” / “eu não gosto disto”) e que tem também uma personalidade. Descobre rapidamente que pode decidir sobre a sua alimentação! E mais, os alimentos que os bebés preferem agora, são muitas vezes a ser os seus alimentos preferidos na idade adulta. Assim sendo, esta etapa da introdução dos novos alimentos é um momento crucial na sua evolução para a independência. Esta etapa marca a entrada do bebé no mundo dos mais crescidos.

Depois de descobrir o seu “eu”, o bebé compreende também que pode “jogar” com a alimentação. Até este momento o bebé teve um papel passivo com o biberão, e agora passa a ter um papel de “jogador ativo”. O bebé interage com os que os rodeiam às refeições (sim o bebé já come à mesa, como os mais crescidos e é uma mudança importante para ele!). "Não gosto", "Nanana", "Bouo" vão ser as primeiras palavras que vão começar a dizer, competindo inclusive com a primeira palavra “mamã” que estava no topo da lista! Gradualmente vão se estabelecendo pequenos rituais e rotinas e você vai ter de ter uma grande imaginação para conseguir que o bebé coma: “agora o avião vai dar voltas, e voltas, e voltas“, “vrrummm vrruumm, o carrinho entra na garagem”, etc. etc. E claro, quando deixar pela primeira vez o bebé tocar na comida com os dedos, ver a figura do seu adorado bebé coberto de puré vai dar-lhe uma coisa! E o bebé estará no seu “sétimo céu”, no maravilhoso mundo da comida!

 

Como o bebé gosta de comer!

Comer é antes de mais um prazer e, de facto, é o primeiro prazer que o seu bebé experiencia. Primeiro, enroscado no colinho da mãe, tem a sensação de segurança e experimenta o sentimento de intensa felicidade enquanto está a mamar. Posteriormente, durante o período da diversificação alimentar com a descoberta dos novos alimentos, prevalece os rostos de surpresa e até caretas quando lhe serve o puré de ervilhas que preparou com todo o amor do mundo e as expressões de prazer quando saboreia o seu pequeno boião de puré de maçã e pera. Tantas emoções! Finalmente há de chegar o dia do seu reinado na sua cadeirinha alta em torno da mesa com a família. Quando se sente no centro das atenções, fazem o seu melhor para pôr toda a gente a rir. A mãe só tem olhos para ele… Até que um jacto de puré atravessa a mesa até bater contra a parede! Não se preocupe, o seu bebé está a aprender que agora faz parte da família e busca o seu lugar nela!

 

A primeira colherada

Por todas as razões anteriores, a sua primeira colherada é um momento especial. Está nas suas mãos preparar este momento cuidadosamente: compre uma colher específica para bebé, feita de plástico (não de metal) para uma sensação mais agradável, e sente o seu bebé à mesa pela primeira vez. Não se esqueça de tirar uma fotografia! Por vezes este momento especial pode perfeitamente acabar por ser um fracasso completo… O seu bebé pode apenas chuchar a colher; neste caso, já é um sucesso que tenha percebido que esta serve para pôr na boca! Prefira um alimento como a papa de cereais ou um puré de legumes com um sabor simples e uma textura suave para começar. Alguns bebés são mais impacientes na hora da refeição, querem comer rapidamente e no princípio recusam a colher. Se o seu bebé se recusa a abrir a boca e não a deixa abrir, não se preocupe e volte a tentar mais tarde.

 

“Nã Góto”!

Apesar de todos os seus esforços e toda a sua imaginação para alimentar o seu bebé, pode por vezes dar de caras com uma recusa completa e total. A isto chama-se neofobia alimentar, ou uma aversão a certos novos alimentos novos. Este transtorno começa geralmente por volta dos 2 anos de idade e atinge o seu apogeu entre os 4 e os 7 anos. Há muitas razões para a criança incluir determinado alimento na lista negra: para afirmar-se, para marcar uma posição, por desconfiar que é novo ou simplesmente porque não gosta, etc. Se os novos alimentos forem introduzidos antes dos 2 anos de idade, menor é o risco de neofobia. Assim, comece a estimular o seu sentido do paladar mal inicie a introdução dos novos alimentos sólidos. Desta maneira vai ver que o seu bebé adorará brócolos tanto como bolos e doces!

 

A introdução dos primeiros alimentos sólidos

Para iniciar a diversificação alimentar deve esperar-se até aos 4-6 meses do seu bebé para que o seu organismo esteja suficientemente desenvolvido para aceitar e digerir bem outros alimentos para além do leite.

A diversificação alimentar deve ser sempre adaptada ao próprio bebé dependendo das suas necessidades nutricionais e ao seu crescimento e desenvolvimento, por isso é fundamental seguir as recomendações do profissional de saúde. Este é a pessoa que melhor conhece o seu bebé e a mais indicada para lhe transmitir qual o momento adequado para o início da diversificação alimentar e também para a orientar sobre a ordem de introdução dos novos alimentos.

Não se esqueça que cada bebé é único e reage de forma diferente perante a introdução dos novos alimentos. Alguns bebés mostram logo interesse por estar sentados à mesa com a família e até pelos novos alimentos, enquanto outros mostram-se mais relutantes. Lembre-se que cada bebé tem o seu próprio ritmo.

O conselho mais importante é que deve ter o cuidado de introduzir um alimento de cada vez, e com o intervalo de 3 a 5 dias entre cada alimento, de forma a identificar a qualquer momento, qualquer reação adversa ao alimento. Por outro lado, também permite que seja dado tempo para educar o paladar do bebé ao gosto pelos novos alimentos.

 

Tudo o que precisa de saber sobre a diversificação alimentar!

 

Os primeiros alimentos a partir dos 4 meses

Aos 4-6 meses, leite materno ou o leite infantil deve continuar a ser a base da alimentação do bebé e o alimento principal para satisfazer as necessidades nutricionais do bebé (pelo menos 500ml por dia).

  • Papa de cereais sem glúten devido ao seu sabor simples e textura suave, à sua riqueza nutricional e à sua fácil digestão são o alimento ideal para iniciar a diversificação alimentar.
  • Puré de fruta: Preferencialmente da época e bem madura, começando pela maçã, pera, banana e marmelo, etc. Pode ser fruta crua esmagada ou ralada, ou cozida, sem adicionar açúcar.
  • Puré de legumes: Comece com um puré de legumes simples por exemplo de batata, cenoura e alface, e gradualmente pode introduzir outros legumes como abóbora, curgete e feijão-verde. Os legumes podem ser cozidos em água ou a vapor e sem sal. Adicione uma colher de chá de azeite no final da confeção. Assegure-se que triture bem os legumes cozidos até que fiquem com uma textura muito suave.

 

Os novos alimentos a partir dos 6 meses

  • Papas de cereais com glúten: se já introduziu as primeiras papas sem glúten aos 6 meses é o momento de introduzir as papas com glúten, uma vez que a introdução do glúten deve acontecer antes dos 7 meses.
  • Carne: Prefira as variedades mais magras como a carne de aves, como frango e peru, e de coelho. A carne deve ser previamente cozinhada e triturada e só depois misturada no puré de legumes. Tenha presente que a quantidade de carne para um bebé de 6-8 meses deve ser apenas de 10-15g/dia. Mais do que isto e arrisca-se a sobrecarregar o seu organismo imaturo!
  • Alimentos lácteos infantis que podem combinar os benefícios nutricionais do leite com o delicioso sabor da fruta ou dos cereais, contribuindo para a ingestão de leite e seus derivados e são ricos em cálcio.

 

Os novos alimentos a partir dos 8 meses

Durante esta etapa o leite materno ou leite infantil continua a ser o alimento principal (pelo menos 500 ml/dia) incluindo outros alimentos lácteos específicos para bebés e crianças pequenas.

  • Peixe: Prefira os peixes brancos como pescada, linguado e maruca. O peixe deve ser adicionado triturado à sopa de legumes. Tal como a carne, tenha presente que a quantidade de peixe para um bebé de 8-12 meses deve ser apenas de 15-20g/dia.
  • Gema de ovo: A partir dos 9 meses é possível introduzir a gema na sopa de legumes do bebé até 2 vezes por semana. No início junte apenas ¼ gema cozida, ½ na semana seguinte e após um mês uma gema inteira.
  • Arroz e massa: A partir dos 10 meses pode introduzir o arroz em bago e a massinha (como estrelinhas e letras) em pequena quantidade e muito bem cozida na sopa de legumes. 
  • Leguminosas: A partir dos 10 meses, as leguminosas, como feijão e grão, podem ser adicionadas à sopa de legumes em pequena quantidade e bem cozinhadas e trituradas para proporcionar uma fácil digestão.

De forma gradual é importante evoluir na textura dos alimentos. Nas primeiras etapas é importante oferecer tudo ao bebé em puré, a partir dos 8-12 meses deve começar a dar os alimentos em pequenos pedacinhos.

 

Os novos alimentos a partir dos 12 meses

A alimentação da criança deve ser dividida em 4 a 5 refeições com intervalos regulares por dia: pequeno-almoço, meio-da-manhã, almoço, meio-da-tarde, jantar, e se necessário, ceia.

  • Carne e Peixe: Aos 12 meses as quantidades recomendadas de carne e peixe são de 20 a 25g/dia.
  • Ovo: A partir dos 12 meses, o bebé pode agora comer o ovo inteiro até duas vezes por semana. Na refeição que oferece ovo à criança não deve dar carne nem peixe.
  • Frutas: Nesta etapa já pode introduzir os frutos com maior potencial alergénico como quivi e morangos em natureza
  • Vegetais: Também pode oferecer vegetais crus como tomate, pepino (maduros, sem pele nem sementes), cenoura e rúcula em salada.
  • E a partir do primeiro aniversário mas com moderação e bom senso o bebé já pode provar… chocolate! 

Se até aos 12 meses as refeições foram constituídas por sopa de legumes com pedacinhos de carne, peixe ou ovo, agora é importante que sejam constituídas por sopa de legumes simples, de prato e fruta! No prato deve integrar o peixe ou carne ou ovo com o acompanhamento de batata ou arroz ou massa ou leguminosas e também vegetais crus e/ou cozidos.

Quando estiver a preparar as refeições para o seu bebé lembre-se de limitar ou evitar o sal e o açúcar, as confeções com gordura, como os fritos, e tenha atenção à quantidade de gordura adicionada.

Quanto às quantidades, o melhor indicador é o seu bebé: ele vai parar ou recusar comer quando estiver saciado. Finalmente, e o que dar de beber ao bebé? Água ou sumo 100% fruta, sem adição de açúcar

Isto é tudo o que precisa de saber de forma resumida para que a alimentação diversificada do bebé seja um sucesso!

Ler mais

Junte-se ao Clube Bebé Nestlé

Ser mãe pode ser um descanso. Inscreva-se no nosso clube e receba informação personalizada para si e para o seu bebé!

  • Ofertas ExclusivasOfertas Exclusivas
  • Benefit 3Informação Personalizada
  • Amostras e Vales
  • Programa Educativo de NutriçãoPrograma Educativo de Nutrição

Inscreva-se já!

Conteúdo Relacionado
Artigo Comentários