Sorry, you need to enable JavaScript to visit this website.
Partilhe Artigo
X
Cara toda vermelha de fúria!

Gritos a meio da noite: o que fazer?

 

Normalmente o meu bebé adormece em apenas alguns minutos, mas ultimamente tem acordado a meio da noite a gritar, sendo difícil acalmá-lo e tranquilizá-lo. Gostava que me ajudassem e me dessem alguns conselhos porque estou um pouco stressada…

Quinta-feira, 19 de Maio de 2016

Pesadelos

 

Se há algumas noites o seu sono tem sido interrompido subitamente pelos gritos do seu pequeno tesouro, aguente-se firme! É um período clássico e transitório que a maioria dos bebés atravessa entre os 6 meses e os 5-6 anos. Estes "transtornos" do sono são indispensáveis para o equilíbrio mental e emocional do seu pequenino. Neste artigo encontrará os nossos conselhos para compreender e gerir os pesadelos e terrores noturnos do bebé.

 

Pesadelos: socorro, os monstros estão a atacar!

Os pesadelos começam normalmente por volta dos três anos e são frequentes até cerca dos cinco anos. Estes ocorrem normalmente no final da noite, durante a fase REM do sono.

Dragões, monstros, fantasmas… muitas criaturas assustadoras invadem a noite da criança. É normal nesta idade, os pesadelos "deitam cá para fora" os medos da criança. Se viram um desenho animado com um cão muito mau ou leram uma história com uma bruxa má, estas personagens voltam à sua mente durante a noite para os "assombrar"! Através dos pesadelos, as crianças também expressam as suas frustrações, tristezas e ansiedades. É uma fase natural e que ajuda a construir o seu próprio pensamento.

Qual é a reação correta? Confortando o seu bebé, claro! Não dramatize o medo da criança, mas também não o deve ignorar. Explique simplesmente que os monstros não existem. Tranquilizada, a criança vai voltar a adormecer. No dia seguinte, volte a falar sobre o livro ou desenho animado que assustou a criança. Leiam o livro (ou vejam o desenho animado) de novo para ajudar a criança a ultrapassar o seu medo.

 

Terrores noturnos: um fenómeno impressionante… mas inofensivo!

Os terrores noturnos são diferentes dos pesadelos, na medida em que ocorrem mais no princípio da noite, durante o sono não-REM. Por regra geral são frequentes entre os quatro e os oito anos de idade. Ao contrário dos pesadelos, durante os terrores noturnos as crianças não acordam. Sentam-se na cama, com olhos bem abertos, e gritam, irrequietas e a transpirar… mas ainda estão a dormir! É uma visão impressionante mas não vale a pena tentar acordar uma criança com terrores noturnos, pois ela não vai compreender porque o fez. Estes episódios duram apenas alguns minutos e as crianças acalmam frequentemente sozinhas. No dia seguinte não se lembram de nada!

 

Uma causa possível dos terrores noturnos é a falta de sono.

Às vezes estes episódios noturnos servem ainda para a criança expressar alguma preocupação ou ansiedade que novos eventos da sua vida possam ter provocado: o regresso à escola, a chegada de um novo irmão ou irmã, etc.

Se os terrores noturnos forem causados por falta de sono poderá ser aconselhável considerar a hipótese de deitar a criança mais cedo ou de estender o tempo da sesta. Procure que a sua criança não vá para a cama demasiado tarde, de forma a não perturbar a essencial rotina de sono. Se os terrores noturnos persistirem, discuta o assunto com o pediatra ou profissional de saúde da criança que a pode aconselhar acerca deste tema.

 

O que pode ajudar a criança?

Existe um número de coisas que os pais podem fazer para assegurar noites tranquilas:

  • Coloque uma luz de presença no quarto. Isto vai tranquilizar a criança e fazê-la sentir-se mais segura durante a noite.
  • Deixe a porta entreaberta para deixar entrar alguma luz do corredor. Assim, o seu pequenino não se sente completamente isolado do mundo e fica mais tranquilo e calmo!
  • A rotina da noite, uma rápida "inspeção" ao quarto para que a criança veja que não há monstros, uma cantiga de embalar, uma história e miminhos dos pais, também podem ajudar a facilitar a hora de deitar. Mas não se esqueça que tem de deixar a sua criança adormecer sozinha.
  • O seu brinquedo ou peluche favorito também é um companheiro indispensável para ajudar a expulsar qualquer monstro!
  • Se a criança realmente precisar de mais mimos para se sentir tranquila e segura, pode deixar que vá para a sua cama. Atenção que isto só deve ser algo excepcional e não mais do que alguns minutos de cada vez. Depois, o seu bebé tem mesmo de voltar para a sua cama no seu próprio quarto. 

Testemunho:

Laura, mãe do Ricardo de 3 anos"O meu filho tem pesadelos frequentemente. Para ajudá-lo a não ter mais pesadelos, inventei um “caçador de pesadelos”: uma simples caixa de sapatos velha, que pintei com muitas cores, e que coloquei debaixo da cama dele. Desde então, nunca mais acordou a meio da noite!"

Ler mais

Junte-se ao Clube Bebé Nestlé

Ser mãe pode ser um descanso. Inscreva-se no nosso clube e receba informação personalizada para si e para o seu bebé!

  • presenteOfertas Exclusivas
  • newsletterInformação Personalizada
  • amostrasAmostras
  • Programa Educativo de NutriçãoPrograma Educativo de Nutrição

Inscreva-se já!

Conteúdo Relacionado
Artigo Comentários