4-6 meses
Artigo
Add this post to favorites

Primeiros 1000 dias - Impactos na saúde futura do bebé

Porquê 1000 dias e qual o seu significado na saúde futura do bebé? Os primeiros 1000 dias correspondem ao período que se inicia na fase de conceção e que se prolonga até aos 24 meses de vida do bebé.

3min ler Ago 8, 2019

Representam uma etapa muito importante que irá determinar a sua vida futura, já que se trata de um período de programação, de desenvolvimento e de crescimento. O que acontece durante estes primeiros 1000 dias de vida é decisivo para o bebé, sendo a alimentação determinante neste período e na sua vida futura. 
Durante os primeiros 1000 dias de vida do bebé poderão assim consolidar-se as bases para que este bebé seja, no futuro, um adulto potencialmente mais saudável. Todos herdamos dos nossos pais instruções genéticas que vão coordenar o nosso desenvolvimento, mas não estamos exclusivamente confinados a esta herança que é o nosso ADN. O nosso desenvolvimento está também condicionado pelo meio envolvente, pelos comportamentos e, especialmente, pelos hábitos alimentares.


Quando se constrói uma casa, por exemplo, nunca se começa pelo telhado. A primeira tarefa, além de um bom planeamento, é criar bons alicerces para que estes possam ativamente sustentar a casa, face às mais diversas intempéries. Quanto mais resistentes e profundos forem estes pilares, mais forte será a construção final que se pretende alcançar.
Esta realidade é um pouco o que se passa na Nutrição e a importância que a mesma tem nos primeiros 1000 dias de vida do bebé, pois percebe-se que os seus efeitos serão imediatos (a curto prazo), mas também a longo prazo, programando assim o seu desenvolvimento imunitário, metabólico e microbiológico … a sua saúde.


As últimas recomendações, durante o período da gravidez, são no sentido de aconselhar a Mãe a alimentar-se de forma variada e equilibrada, de modo a proporcionar ao feto todos os nutrientes indispensáveis ao seu desenvolvimento e crescimento. Desta forma, a Mãe estará, seguramente, a criar os sólidos pilares que irão sustentar o futuro bebé e garantir um crescimento saudável.
Após o nascimento, o leite materno constitui o elemento essencial para o crescimento saudável do bebé e deve-se privilegiar a amamentação durante os primeiros 6 meses de vida, pois o leite materno contém os nutrientes essenciais e é “personalizado” às necessidades nutricionais do bebé.  Nesta fase da vida do bebé, se ele não se alimentar em exclusivo de leite materno, é importante que receba o aporte de nutrientes adequado através da alimentação complementar. Por exemplo, as proteínas são muito importantes nesta fase de crescimento acelerado e vulnerabilidade, mas é importante reter que o excesso das mesmas está relacionado com um maior risco de sobrepeso e obesidade.  


A correlação entre o consumo excessivo de proteínas e desenvolvimento de obesidade no futuro (quando adolescente e/ou adulto) é apenas um dos exemplos das numerosas evidências que apontam para uma forte relação entre Nutrição e saúde futura. De facto, os efeitos da Nutrição são mais abrangentes do que simplesmente um efeito sobre o risco de obesidade. A alimentação das crianças durante esta fase influencia o seu crescimento e desenvolvimento, mas também a incidência de doenças respiratórias, gastrointestinais e alérgicas, tanto na primeira infância, como na juventude e na idade adulta.


É, pois, essencial promover uma alimentação e Nutrição equilibradas, com cuidados especiais na gravidez, na lactação e na infância, já que as consequências têm efeitos a longo prazo que se estendem à vida adulta e à velhice.
Começar a vida de forma saudável é meio caminho andado para um crescimento saudável. É, por isso, que os primeiros 1000 dias de vida do bebé são decisivos, em termos de impacto, na sua saúde futura.