12-24 meses
Programa Educativo de Nutrição
Add this post to favorites

A alimentação da criança entre 12 e 24 meses

8min ler Ago 19, 2016

Como já deve muito provavelmente saber, as crianças com esta idade são particularmente ativas e cheias de energia! Considerando o seu tamanho, estas precisam de refeições e lanches muito nutritivos, cada dentada tem a sua importância.

Para que as crianças com esta idade recebam todos os nutrientes de que precisam para crescer e se desenvolver de forma saudável, é necessário que as pequenas porções que comem sejam ricas em nutrientes essenciais. Por outro lado, devem comer frequentemente durante o dia — fazendo idealmente três refeições principais equilibradas e dois ou três lanches entre elas por dia.

Com 12 meses, o seu filho precisa de ingerir diariamente alimentos pertencentes a cada grupo da roda dos alimentos. A seguir, apresentamos-lhe algumas sugestões para cada um dos grupos:

Grupos

de alimentos

Dose diária*

Exemplos de porções

Laticínios

500 ml no máximo

120 – 240 ml

Grãos

e

Cereais

28 g de grãos

Equivalentes (Pelo menos ½

das porções de grãos deve ser de origem integral)

Cada um dos alimentos seguintes equivale a cerca de 14 g de grãos:

 

  • ½ Fatia de pão de forma integral
  • 1 Panqueca
  • ¼ Chávena de massa cozida
  • ¼ Chávena de cereal infantil

Cada um dos alimentos seguintes contribui para uma porção de 7 g:

  • 2 Tostas
  • ¼ de Chávena de cereais de aveia torrada

Legumes

170 ml

60 ml de puré de legumes, ou legumes amassados, ou legumes bem cozidos, descascados e picados

Frutas

170 ml

Taça de 60 ml de puré de fruta, ou de fruta esmagada ou de fruta descascada, picada

Carne/Leguminosas

43 g

3 Colheres de sopa de carne bem cozinhada, fácil de mastigar ou de carne de aves ou 1 ovo mexido

* As necessidades do seu filho poderão ser maiores ou menores do que aquelas aqui apresentadas; respeite os seus sinais de fome e de saciedade

 

Construir uma base saudável

Estas dicas podem ajudá-la a ensinar o seu filho a ter bons hábitos alimentares, que irão perdurar ao longo da sua vida:

1. Escolha os alimentos de forma sensata. Durante a fase de transição entre o leite materno ou fórmula/leite artificial para sólidos, as carências alimentares são muito comuns. O estudo sobre a alimentação das crianças intitulado “Estudo sobre a alimentação de bebés e crianças” (Feeding Infants and Toddlers Study, FITS), promovido pela Nestlé em 2008, revelou que, num dia normal, as crianças não comem frutas e legumes em quantidade suficiente, e não ingerem a dose recomendada de potássio e de fibra. Além disso, mais de metade das crianças não obtém da sua alimentação a dose de vitamina E necessária.

Por isso, é importante propor ao seu filho uma variedade de frutas, legumes, cereais integrais, carnes magras e laticínios. Inclua também gorduras vegetais ricas em gorduras ómega 3, tal como o óleo de canola ou de soja.

2. Diversifique. Uma dieta equilibrada depende da ingestão diária de uma variedade de alimentos de todos os grupos — cereais integrais, fruta, legumes, carnes e leguminosas e laticínios. Assegure-se também de incluir alimentos com nutrientes que possam estar em falta no organismo do seu filho: ferro, zinco, potássio, vitamina E e fibras.

3. Ponha cor no prato. Uma variedade de alimentos coloridos aumenta o paladar do seu filho e fornece uma diversidade de nutrientes para a sua barriguinha. Introduzir novos alimentos juntamente com outros particularmente apreciados pode aumentar a sua aceitação. Por exemplo, se ele gosta de milho, tente adicionar uns cubinhos de pimento vermelho.

4. Deixe o seu filho decidir a quantidade que quer comer. Ensine o seu filho a respeitar o seu apetite deixando-o decidir o que comer e em que quantidade. Se tiver fome, deixe-o comer à vontade. Se estiver cheio, deixe-o parar.

5. Lanche inteligente. Sirva três pequenas refeições e dois ou três lanches por dia. Porque algumas crianças obtêm 25% das suas calorias dos lanches, certifique-se de que lhe oferece escolhas nutritivas a cada lanche. Evite alimentos extremamente calóricos e com poucos nutrientes, como batatas fritas, bolachas e bebidas açucaradas.

6. Beba de forma responsável. As bebidas são importantes para assegurar uma boa hidratação, mas em excesso podem fazer com que o seu filho se sinta demasiado cheio para comer corretamente. Das escolhas do seu filho em termos de bebida devem fazer parte a água, o leite e moderadamente sumos 100% fruta. Limite a ingestão de leite a 2 chávenas por dia. Se oferecer sumo de fruta 100%, sirva-o apenas num copo, e não no biberão, e limite a quantidade a 120 ml por dia. A água é a bebida por excelência, devendo representar o resto dos líquidos.

7. Ofereça gorduras saudáveis. As crianças pequenas precisam de calorias das gorduras para o seu crescimento e desenvolvimento cerebral. Inclua fontes saudáveis de gorduras principalmente não saturadas – peixe gordo, abacate, alimentos à base de óleos vegetais – na dieta do seu filho.

8. Escolha alimentos com baixo teor de sódio. Mesmo se achar a comida do seu filho insípida, lembre-se de que ele não precisa da quantidade de sal que lhe parece estar certa para si. O sódio também se torna um sabor preferido quando é introduzido.

 

Preencha as carências nutricionais da criança

Para melhor compreender o aporte de nutrientes e os hábitos alimentares das crianças, a Nestlé patrocinou um estudo sobre a alimentação das crianças, o FITS 2008. Ao saber o que as crianças comem exatamente, consegue-se mais eficazmente orientar as suas escolhas alimentares.

 

Apresentamos-lhe algumas carências nutricionais comuns reveladas pelo estudo:

As frutas e os legumes

Contêm fibras, minerais e vitaminas essenciais. Uma dieta rica em frutas e legumes é importante para um desenvolvimento e crescimento saudáveis.

O estudo FITS 2008 da Nestlé mostrou que, num dia  normal, 25% das crianças com idades entre os 12 e os 24 meses não comem nem uma única porção de fruta e que 30% delas não comem nem uma única porção de legumes.

Como resolver este problema:

  • Ofereça ao seu filho 225 g de fruta e 275 g de legumes todos os dias.
  • As porções de frutas e legumes podem ser frescas, congeladas ou enlatadas, mas precisam sempre de ser cortadas em bocados pequenos e fáceis de comer.
  • Lembre-se que pode sempre dar ao seu filho purés de comidas que ele gosta para diversificar ainda mais a sua alimentação.

 

CEREAIS

De acordo com o estudo FITS 2008 da Nestlé, cerca de 60% das crianças entre os 12 e os 18 meses comem cereais para adultos, não integrais, durante o dia. Porém, passar para cereais adultos pode não ser a melhor opção para o seu filho com esta idade. Esses cereais podem não ser tão ricos em ferro quanto os cereais infantis, além de poderem apresentar um elevado teor de açúcar.

Como resolver este problema: Continue a dar ao seu filho cereais infantis enriquecidos em ferro e lembre-se de que pode comê-los a qualquer momento do dia!

 

Bebidas açucaradas e produtos de pastelaria

Não existe muito lugar na dieta do seu filho para alimentos que fornecem muitas calorias mas poucos nutrientes. O estudo FITS 2008 da Nestlé mostrou que mais de 70% das crianças consomem qualquer tipo de doce, produto de pastelaria e bebidas açucaradas num dia normal. Os produtos de pastelaria, doces e bebidas açucaradas podem ser ricos em calorias quando comparados com os micronutrientes que oferecem, e podem tomar o lugar de outros alimentos nutritivos na dieta.

Como resolver este problema: Em vez de doces, dê ao seu filho opções mais nutritivas, tais como frutas, iogurtes e cereais, bem como lanches com alimentos ricos em cereais integrais.

 

As fibras

Desempenham um papel importante na saúde digestiva do seu filho. No entanto, o estudo FITS 2008 da Nestlé mostrou que, por dia, praticamente nenhuma criança satisfaz a dose diária recomendada de 19 g de fibras.

Como resolver este problema: Todos os dias, ofereça cereais integrais, frutas e legumes, quer frescas, congeladas, em puré ou enlatadas, com o tamanho e a textura adequados ao seu filho.

 

A vitamina E

É um antioxidante importante que ajuda a preservar as células do corpo. De acordo com o estudo FITS 2008 da Nestlé, cerca de metade das crianças com 12 meses não obtém da sua alimentação a quantidade recomendada de vitamina E.

Como resolver este problema: Os óleos vegetais (canola, milho, soja), os abacates, os cereais integrais e algumas hortaliças (espinafres, brócolos) contêm vitamina E.

 

O potássio

É um mineral que contribui para o bom funcionamento dos músculos. De acordo com o estudo FITS 2008 da Nestlé, praticamente nenhuma criança satisfaz a dose diária recomendada de potássio na sua dieta.

Como resolver este problema: O potássio está presente em muitos alimentos, nomeadamente, batatas, batata doce, abacate, espinafre, iogurtes, bananas e citrinos.

 

As gorduras saudáveis

Contribuem para o crescimento e o desenvolvimento cerebral. A gordura também ajuda o corpo a utilizar as vitaminas, tais como as vitaminas A, D, E e K. O estudo FITS 2008 da Nestlé mostrou que cerca de 23% das crianças não ingerem a dose recomendada de gordura total. Cerca de 30 a 40% da ingestão total de calorias de uma criança deve provir de gorduras, de preferência de gorduras mono e polinsaturadas, tais como aquelas presentes nos peixes, abacates e alimentos à base de óleos vegetais, tais como o óleo de canola e de soja. Essas gorduras saudáveis devem substituir as gorduras saturadas presentes nos laticínios ricos em gordura, tais como a manteiga, o queijo e as carnes gordas, como por exemplo os cachorros quentes, o bacon e as salsichas.

Como resolver este problema: Tente preparar alimentos com gordura, como óleo de soja ou canola, que também são ricos em gorduras Ómega 3, ácido alfa-linolénico, ou ofereça condimentos, como maionese ou molho para salada, à base desses óleos. Lembre-se de limitar o consumo de alimentos ricos em gorduras saturadas e trans.